Bares e restaurantes pedem que Paraná não adote Lei Seca nas Eleições: “medida retrógrada”

O pedido é para que a medida seja válida para todos os 399 municípios do Paraná

27/09/2022 08H55

A Associação Brasileira de Bares e Casas Noturnas (Abrabar) fez um pedido à Secretaria de Segurança Pública (Sesp) para que o Paraná não adote a Lei Seca na Eleição, que acontece no próximo domingo (2 de outubro). De acordo com a entidade, a legislação brasileira tem outros mecanismos para serem aplicados a infratores ou perturbadores do processo eleitoral, seja na legislação de trânsito, costumes ou de violência.

O presidente da Abrabar, Fabio Aguayo, destaca que bares e restaurantes do Paraná possuem um posicionamento histórico de contrariedade à Lei Seca.

“É uma medida retrógrada, lá do século passado. Hoje nós temos normas mais rígidas e que temos que aplicar. A Lei Seca é sempre uma resolução ou portaria, que ficou viciada no estado. O estado de Santa Catarina, por exemplo, já não aplica a medida há dez anos”, justifica.

Na carta encaminhada à Sesp, a entidade lembra que o Brasil vive um período pós pandemia, no qual o setor sofreu “imensamente e teve consequências irrecuperáveis”, causando uma grave crise econômica.

A última Lei Seca ocorreu no Paraná em 2014. Em 2016, o consumo e venda de bebidas foi autorizada pela Justiça.

O pedido é para que a medida seja válida para todos os 399 municípios do Paraná.

SEGURANÇA

Uma resposta à categoria pode ser dada já na manhã desta terça-feira (27), uma vez que as forças de segurança falarão sobre o esquema do próximo dia 2 em coletiva de imprensa no Tribunal Regional Eleitoral (TRE).

Deixe seu comentário:

Veja Mais